Páginas

terça-feira, 30 de outubro de 2012

Não Quero



Minta na minha cara
Veja o idiota bem a que
Ferrado de mais pra se importa

Inconseqüente
Esses caminhos fora longe de mais
Sentado e se lamentando
Acho que fui longe de mais

E esse mundo que eu vivo
Apertado e sufocante
A que dentro da minha cabeça
Nada esta a salvo

Não chegue tão perto
Apenas no seu limite
O tempo se torna mais real
Eu deveria fazer parte dele

Se eu encontrar motivos para esta a que
Eu ainda vou entender esse propósito
Pois caramba
Eu não quero morre assim


E se a loucura
Vende a minha alma
E se meus medos abita em mim
Eu deveria implorar

A chance eu já tive
E se o futuro nos reserva esse fim
Eu deveria estar feliz
Pois não tenho mais nada a que
Eu não escolhi ser
A vida que me fez assim.

domingo, 21 de outubro de 2012

Em algum Lugar



Existe uma coisa que não sai da minha cabeça:
O porquê de eu ainda tentar.
Dizem que não vale à pena desistir, dos sonhos, ideais, da vida, de quem se ama... Acho que quando você chega ao limite não faz diferença se é jovem, adulto, não existe idade, data e nem hora pra desistir. Às vezes na vida você só tem que deixar certas coisas de lado, lutar contra tudo que ainda te prende aquilo, aquele desejo, aquele sentimento, aquela necessidade... Apenas virar as costas e caminha sem olhar pra traz.
Mesmo assim seu coração ainda preso aquilo, vai querer voltar e dizer milhares de coisas, mas hoje não. Uma vez pensei que as pessoas nuca eram substituíveis, talvez isso seja verdade, talvez você só apenas as troque de lugar dentro da sua mente.
Hoje vejo como sou incapaz de sustentar algo, às vezes parece que tudo que eu toco morre e eu tomo toda culpa pra mim... Pesado, deprimente, exagerado? Eu não saberia te dizer, como muitas respostas que eu não sei dar. Eu ainda olho no espelho tentando me reconhecer, procurando se ainda existe algo vivo dentro de mim, mas tudo que eu vejo é outra pessoa que eu não conheço mais.
Se eu me tornei uma decepção para muitos,eu peço desculpas mesmo que isso não vá mudar nada. Eu perdi tantas coisas, tantas pessoas nesse tempo. Acho que essa incerteza, esse vazio que me preenche com toda a sua sabedoria vão pra sempre me acompanhar.
 Talvez isso tudo faça parte do meu destino... Alias, não existi destino, sou apenas EU incapaz de trilha o meu próprio caminho...
“Em algum lugar desse mundo, eu não vou sentir mais nada.”

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Talvez em uma bela noite...


 Eu queria encontrar você
Com aquele belo sorriso
Estampado em seu rosto

Queria pode te dizer milhares de coisas
Nem que seja pra te pedir desculpa
Mais seria apenas pra estar com você

E se o tempo passou
Eu não me esqueci de você
Não deixei de sonhar com você

E se no meu coração mora o desejo
Eu me entregaria em seus braços
Sem medo de sofrer

E se as estrelas eu não posso contar
Em minhas mãos eu tentaria
Apontar qual delas é você

E eu sou apenas humano
E você seria um anjo
Eu saberia me apaixonar por você?



E talvez em uma bela noite
Com uma lua tão bonita
Eu ainda possa te encontrar
E pra sempre
Continuar a te amar...

Um amor sem fim

Quando eu era mais nova, me disseram que não existe mais o amor, me fizeram acreditar que homens não sabiam o que eram amar, muito menos, o que era ser romântico. E assim eu cresci, com essa ideia de amor inexistente. Deixei meu coração virar pedra, e a insegurança e o medo tomar contar de todos os meus pseudos-relacionamentos que eu não conseguia deixar nenhum namoro ir para frente. Ate que a algum tempo eu conheci alguém. com todas as dores, sofrimentos e términos, acho que agora posso dizer com todas as palavras o que é amar. 

Amar e pensar no outro, sem nem ao menos se importar com o que você pensava antes. É ver a felicidade através de um sorriso, e sentir falta sendo que vocês acabaram de se encontrar. e ver a sua felicidade inteira ao lado de alguém.

Então depois de tudo isso eu tenho que afirmar, ainda existe amor, de uma forma meio maluca, diferente de tudo o que você imaginou, ainda existe o verdadeiro amor.

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Vontade de Chorar



O pensamento sempre me mata. Eu fico a que horas e horas pensando...
  Parece que um vazio teima em existir em mim, como uma maldição, essa mania de questionar, de contrapor, de sentir tudo em minha volta.
  Sinto falta... Sim, sinto falta de mim mesmo, do que eu era dos meus sonhos, das minhas alegrias, daquele cara que sentia o coração bater dentro do peito, sentia os pés no chão enquanto flutuava em milhares de fantasias em um mundo que eu vivia, e de alguma maneira eu era feliz.
  Um dia a vida bateu na minha porta, me cobrando o preço que não podia pagar. Talvez eu não tenha crescido o suficiente, ou achei que já era maduro de mais... Bobagem a minha. Com o tempo tudo aquilo que eu acreditava foi mudando, e meus pensamentos, meu coração seguiram a linha, essa regra maldita... Talvez eu não tenha mudado só mostrei quem eu sou verdadeiramente. Insanidade, eu não sei, meus olhos não refletem mais quem eu sempre quis ser.
  Quem sabe um dia eu encontre os pedaços do meu coração partido, na beira do caminho nessa estrada que me leva de encontro ao muro, onde será o meu fim, e no fundo eu não me importaria... Às vezes acho que eu já encontrei com esse muro há muito tempo, e não sinto vontade de chorar.
  Perdoe-me pelos meus “pecados”...